FALE CONOSCO

Notícias

Voltar para listagem de notícias

29/05/2017

Glaucoma é grave e não dá sinais. Procure um oftalmologista e previna-se!

O dia 26 de maio foi escolhido pelo Ministério da Saúde para ser o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma. Segundo estimativas do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, entre 2% e 3% da população brasileira acima dos 40 anos de idade, ou seja, mais de 1,5 milhão de pessoas, têm essa doença que é provocada pelo aumento da pressão ocular.

Oftalmologista no Hospital Sírio-Libanês, o dr. Newton Kara José Junior explica que, ao aumentar a pressão do globo ocular, o glaucoma lesa o nervo óptico, causando diminuição progressiva e irreversível do campo de visão até levar à cegueira completa. No Brasil, o glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível nas pessoas com mais de 50 anos de idade.

Existem diferentes tipos de glaucoma:

Pesquisa mostra avanço no diagnóstico precoce do glaucoma

Pesquisadores ligados à University College London conseguiram recentemente identificar em algumas pessoas a morte das células nervosas na parte de trás do olho, as células ganglionares retinianas, responsáveis por causar o glaucoma.

A descoberta, publicada em abril de 2017 na revista científica Brain, pode ajudar a criar exames mais avançados para o diagnóstico precoce do glaucoma.

Para o dr. Newton Kara José Junior, a descoberta é promissora, mas ainda requer várias fases de pesquisa até se mostrar uma realidade para a população. “A consulta periódica com um oftalmologista continua sendo a melhor forma de prevenir e diagnosticar o glaucoma”, comenta.

A idade avançada é considerada um fator de risco para o glaucoma porque se trata de uma doença que geralmente leva anos para se desenvolver. Quando ela se manifesta, a pessoa quase sempre já está na fase adulta ou na terceira idade.

O glaucoma apresenta sintomas?

O glaucoma não apresenta sintomas iniciais, ou seja, quando a doença começa a se manifestar já pode ser tarde demais. É apenas o oftalmologista na consulta de rotina que é capaz de identificar a progressão da doença e fazer o diagnóstico.

Nas fases mais avançadas do glaucoma, porém, a pessoa pode ter perda da visão periférica. Ela vê bem o que está em sua frente, mas não enxerga o que está dos lados. Segundo especialistas, parece que estamos olhando pelo buraco da fechadura. Com o passar do tempo, se não houver tratamento, a doença pode progredir e toda a visão ficará comprometida.

Por isso, um dos maiores desafios contra o glaucoma é o diagnóstico. “O Dia Nacional de Combate ao Glaucoma nos ajuda a chamar a atenção da sociedade sobre essa doença, alertando sobre a importância de se fazer frequentemente um check-up oftalmológico”, observa o especialista.

O diagnóstico do glaucoma, geralmente, é feito por um oftalmologista em uma consulta de rotina. Ela detecta os sinais da doença através do exame de fundo de olho e da medida da pressão ocular e, se necessário, solicita exames complementares para confirmar o problema.

Após o diagnóstico do glaucoma, o médico oftalmologista geralmente inicia o tratamento com colírios específicos para reduzir a pressão do olho. Se o colírio não for eficaz, pode ser indicado um tratamento a laser ou, em último caso, cirurgia.

Fonte: www.hospitalsiriolibanes.org.br

Endereços de atendimento
Atendimento Médico AME   •   Hospitais de Atendimento   •   Serviço de Reabilitação

Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês
Matriz: Rua Peixoto Gomide, 337, Bela Vista, São Paulo - Telefone: 55 (11) 3016-0528
E-mail: faleconosco@irssl.org.br