FALE CONOSCO

Notícias

Voltar para listagem de notícias

02/05/2017

Gripe H1N1 é mais grave em pessoas com problemas cardiovasculares

A gripe causada pelo vírus H1N1, também conhecida popularmente como "gripe suína", tornou-se uma "grande vilã" para pacientes com problemas cardíacos. Cada vez mais, casos graves envolvem pessoas com insuficiência cardíaca, arritmia, angina ou que já tiveram um infarto ou um acidente vascular cerebral (AVC). Mesmo pessoas saudáveis podem apresentar problemas cardíacos decorrentes da infecção pelo vírus. Até o fim outubro de 2016, o Ministério da Saúde registrava 2.086 internações por H1N1 no País. Aproximadamente 30% desses pacientes eram portadores de doenças cardiovasculares.

O vírus e o coração

Cardiologista no Hospital Sírio-Libanês, o dr. Juscelio Trajano de Sousa Filho explica que já existem diversos estudos que mostram associação entre a infecção causada pelo H1N1 e doenças cardíacas. "Ainda não há uma causa clara para essa associação e o mecanismo exato permanece obscuro, mas inúmeros dados produzidos recentemente destacam o papel danoso do vírus sobre o coração."

Na vigência do quadro infeccioso, várias mudanças ocorrem no organismo, entre elas:

Essas mudanças exigem um trabalho maior do coração, levando à descompensação de doenças cardíacas preexistentes — ocasionando arritmias, desmaio, angina e edema de pulmão.

Segundo o dr. Juscelio, discute-se inclusive o papel do vírus da gripe na instabilidade das placas de gordura nas artérias do coração, aumentando o risco de infarto em pacientes suscetíveis. Geralmente, quanto mais grave o problema cardíaco, maior o risco de complicações.

Em pacientes saudáveis, o vírus da gripe — aliado ao sistema imunológico do próprio paciente — pode gerar uma inflamação no músculo cardíaco (miocárdio) ou na membrana que o reveste (pericárdio); a miocardite (ou miopericardite) pode evoluir para insuficiência cardíaca e até causar a morte do indivíduo em casos mais graves.

Como se proteger da gripe H1N1?

Assim como os demais vírus da gripe, o H1N1 é transmitido por meio de contato com secreções respiratórias de uma pessoa doente, geralmente expelidas na tosse ou no espirro. Não só os pacientes com problemas cardíacos, mas todos podem adotar medidas simples para reduzir o risco de infecção e transmissão:

Sintomas e tratamento

Pacientes infectados pelo H1N1 geralmente apresentam febre alta (acima de 38 ºC), mal-estar intenso, tosse, falta de ar e dor no peito. Aqueles com problemas cardíacos devem procurar imediatamente um médico ou um serviço de Pronto Atendimento. "Quanto mais rápido for o diagnóstico e o início do tratamento, menor será o impacto do vírus sobre o paciente e seu coração", comenta o cardiologista.

O tratamento contra o vírus envolve repouso e hidratação, mas nos grupos de risco, o médico pode recomendar o uso de medicamentos que ajudem a aliviar os sintomas da doença e combater o vírus, prevenindo complicações. O ideal é que esses medicamentos sejam administrados até 72 horas depois do surgimento dos primeiros sintomas. A automedicação é sempre contraindicada.

Fonte: www.hospitalsiriolibanes.org.br

Endereços de atendimento
Atendimento Médico AME   •   Hospitais de Atendimento   •   Serviço de Reabilitação

Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês
Matriz: Rua Peixoto Gomide, 337, Bela Vista, São Paulo - Telefone: 55 (11) 3016-0528
E-mail: faleconosco@irssl.org.br