FALE CONOSCO

Notícias

Voltar para listagem de notícias

11/02/2015

Saiba como proteger sua saúde durante as viagens

​​Está planejando viajar em breve? O dr. Marcelo Litvoc, infectologista especialista em medicina do viajante no Hospital Sírio-Libanês, alerta para alguns cuidados que devem ser tomados antes, durante e depois da viagem.

Antes do embarque

Segundo o médico, os preparativos devem se iniciar com as pesquisas sobre o local de destino. “Procure informações sobre as doenças mais comuns nas cidades a serem visitadas, necessidades de vacinação, clima, tipo de alimentação e onde ficará hospedado para saber como se proteger”, comenta dr. Litvoc.

As doenças que mais preocupam durante as viagens são as tropicais, como febre amarela, malária, doença de Chagas e leishmaniose. Elas são endêmicas em certas regiões da América Latina e da África, no sul da Ásia e em parte da Oceania. Para doenças como febre amarela, hepatites A e B, febre tifoide, meningite, sarampo e rubéola existem vacinas. Para as demais, podem ser adotadas medidas preventivas ou profiláticas.

Para viagens ao exterior, o dr. Litvoc também sugere a realização de um seguro de saúde. Viajantes que não têm plano de saúde que contemple a cobertura em outros países podem contratar o serviço apenas pelo período da viagem. Algumas empresas de cartão de crédito também oferecem o seguro gratuitamente em determinadas condições.

E para quem vai para regiões inóspitas, o especialista lembra a importância de levar um kit de autocuidado. “Não é para se automedicar. Mas, dependendo do local da viagem, é bom conversar com seu médico sobre produtos de primeiros socorros, repelentes de insetos ou até mesmo remédios para problemas corriqueiros.”

Quem está em tratamento deve levar quantidades extras de remédios com a prescrição médica, pois nem sempre é possível encontrá-los no local de destino ou até mesmo ingressar em outro país sem a receita.

Durante a viagem

Ao iniciar a viagem, os cuidados devem ser com o meio de transporte. “Se for ficar horas sentado, lembre-se de movimentar o corpo, especialmente as pernas, para evitar trombose e edema (inchaço), aconselha o dr. Marcelo Litvoc. “E para pessoas com risco aumentado para tromboembolismo, pode ser receitado algum medicamento específico (anticoagulante)”, acrescenta. O uso de meia elástica também pode ser útil para viagens longas.

Nas viagens de avião, a baixa umidade nas cabines exige maior cuidado com a hidratação, sobretudo para quem ingere bebidas alcoólicas. A desidratação pode, entre outros problemas, aumentar as chances de formação de cálculos renais. Já para quem vai de barco ou ônibus, remédios contra enjoos podem ser necessários. E nos cruzeiros de navios, a atenção deve ser dada para infecções que provocam diarreia.

Depois da volta

Algumas doenças, como a malária, podem apresentar sintomas até 25 dias após a infecção — principalmente para quem tenha tomado alguma medicação antimalárica de prevenção. Por isso, as recomendações do dr. Litvoc são para que os cuidados continuem mesmo depois do fim da viagem.

“Ao voltar para casa, apresentando algum quadro que exija atenção, é importante contar ao profissional médico que está retornando de viagem.”

O Núcleo Avançado de Infectologia do Sírio-Libanês está preparado para atender às doenças infecciosas e parasitárias mais comuns no Brasil e no mundo.

Viajante
Fonte: Fonte: Dr. Marcelo Litvoc, infectologista no Hospital Sírio-Libanês

Endereços de atendimento
Atendimento Médico AME   •   Hospitais de Atendimento   •   Serviço de Reabilitação

Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês
Matriz: Rua Peixoto Gomide, 337, Bela Vista, São Paulo - Telefone: 55 (11) 3016-0528
E-mail: faleconosco@irssl.org.br